Quem sou eu?

A estranheza desta pergunta, à qual deveríamos conseguir responder sem rodeios e demoras, faz-me questionar o facto de estar aqui a escrever sobre mim. Saberemos nós quem somos? A resposta a esta questão, quando feita, é regra geral dada sobre a forma de como chegamos até aqui. Vamos desfiando um novelo de acontecimentos que nos aconteceram ao longo da vida, falamos do sofrimento e da alegria construída até ao momento mas…será isso apenas que somos? Uma sucessão de acontecimentos e experiências? A estranheza desta pergunta, à qual deveríamos conseguir responder sem rodeios e demoras, faz-me questionar o facto de estar aqui a escrever sobre mim. Saberemos nós quem somos? A resposta a esta questão, quando feita, é regra geral dada sobre a forma de como chegamos até aqui. Vamos desfiando um novelo de acontecimentos que nos aconteceram ao longo da vida, falamos do sofrimento e da alegria construída até ao momento mas…será isso apenas que somos? Uma sucessão de acontecimentos e experiências?

Numa situação caricaturada de “Ted Talk” no final do meu curso de certificação internacional em PNL-Programação NeuroLinguistica a questão foi abordada e a resposta dada baseou-se num resumo onde cada um dos participantes partilhou, de uma forma extremamente intima algo muito seu. Mas mesmo assim, Quem sou eu? Sou apenas a partilha de algo muito intimo de mim?

Enfim…Eu sou alguém que está em paz consigo mesma. Estar em paz e em equilíbrio foi algo que me foi retirado durante uma grande parte da minha vida. É algo que busquei e consegui. Foi algo que ambicionei e corri atrás. Como? Através de uma busca constante de conhecimento e crescimento de mim mesma e do outro. Foi compreender e entender, e posteriormente interiorizar que a mudança está sempre em mim e nunca no outro.

Hoje entendo a vida como algo que deve ser realmente ser vivido com paixão e intensidade.

Durante a maior parte da minha vida acreditei, sendo um tipo 3 do ENEAGRAMA, o Motivador/o Realizador/ o Bem Sucedido que

” A maioria das pessoas bem sucedidas deixa para divertir-se depois que construir o seu património-só que então fica tarde demais para desfrutá-lo”

Samuel Pepys

Agora já não! A vida ensinou-me com inúmeras lições e demonstrações, algumas de aprendizagem duríssima, que não pode ser assim. Que não deve ser assim! Que não é assim! Que devo aproveitar cada pedacinho de felicidade pois só assim desfruto em plenitude a vida e o que ela tem para me oferecer. Só abrindo as portas do coração abriremos as portas da felicidade.

Já comecei do zero pelo menos duas vezes, passei por tudo isto calada, como se a voz fosse algo que não me assistia. Mas cheguei finalmente a uma altura da minha vida que decidi BASTA! O momento é AGORA!

Decidi viver a vida em pleno e fazer algo que é a minha missão no mundo, ajudar os outros a serem pessoas melhores e melhores pessoas. Sei que não é tarefa fácil, mas como alguém diz, se o fosse não era para ti.

Estou numa fase de reconexão com o meu próprio coração, com a minha essência, com a minha Autenticidade, a mostrar-me fiel ao que realmente sou, a permitir-me revelar o meu verdadeiro Eu com simplicidade, humildade e sinceridade.

Mas podem questionar-se agora: Quem é ela?Apenas fala do presente… E eu respondo simplesmente, sou quem quero ser! Venham conhecer-me!

Anabela Murta_Coach Transformacional

Autora do Programa RECONEXAO

Autora do Programa AMAR HOJE